Bebê Chiador ou Lactente Sibilante é a criança menor de 2 anos que apresenta chiados recorrentes. Os vírus são os principais agentes etiológicos e os sintomas melhoram com o crescimento. Em alguns casos, ocorre a evolução para asma.

Crianças pequenas podem ter de 6 a 8 infecções virais por ano e alguns desses vírus estão relacionados com chiado persistente durante a infância.
  • Adenovírus: sua infecção está relacionado a quadros graves de chiado
  • Vírus Sincicial Respiratório: é o vírus responsável pela bronquiolite na infância
  • Rinovírus: é o vírus mais prevalente

 

Sintomas do Bebê Chiador

O chiado é um barulho agudo, semelhante a miado de gato, que causa crises leves a graves.

  • Leve: chiado sem comprometimento da respiração da criança e do estado geral. Ela continua brincando e se alimentando.
  • Moderado: cansaço leve a moderado, que pode ser observado através da retração da barriga e o aparecimento das costelas enquanto a criança solta o ar. Há comprometimento das atividades normais
  • Grave: cansaço importante, a criança fica abatida e mais sonolenta.

Podemos ter o chiado associado apenas aos quadros de infecções de vias aéreas ou os chiado presente na ausência das infecções.

Os episódios de chiado associado a infecções são caracterizados por:
  • Quadros agudos
  • Tosse
  • Sibilos (som agudo, semelhante a um miado de gato)
  • Cansaço
  • Em vigência de coriza, secreção e às vezes febre.

No intervalo entre as infecções a criança não apresenta outros sintomas e o crescimento leva a melhora total dos sintomas.

O bebê chiador pode evoluir para asma?

Sim! Quando as crianças apresentam sintomas sem infecção, aumenta-se a chance da evolução para asma (também chamada popularmente de bronquite). Nesse caso, os sintomas também incluem:
  • Tosse seca ao rir ou brincar
  • Chiado ou cansaço com piora a noite
  • Redução das brincadeiras e atividades físicas

Acompanhar com especialista é importante, já que a asma é uma doença crônica passível de tratamento.

Alguns fatores na vida/saúde da criança pode indicar se ela vai evoluir para asma, como:
  • Eczema (dermatite)
  • Pais com asma ou que tiveram asma na infância
  • Sensibilização a inalantes (como ácaros, pelo de animais, fungos, barata) ou a alimentos (como leite de vaca, ovo e amendoim)
  • Eosinófilos aumentados no hemograma
  • Chiado sem infecção respiratória
  • Rinite alérgica
Eczema.

Testes que nos auxiliam no diagnóstico

  • Testes para confirmar atopia: prick-test ou dosagem de imunoglobulina específica para avaliar a sensibilização a inalantes e alimentos (Saiba mais em Prick Teste)
  • RX de tórax
  • Teste terapêutico: consiste em iniciar tratamento por 2 a 3 meses com medicação própria para asma (corticóide inalatório) e avaliar se há melhora dos sintomas. Se sim, a chance de ser asma aumenta bastante.
Prick Test

 

Tratamento

  • Das crises:
    • Quando a criança está com sibilos e cansaço, é necessário a realização de inalações com b2 agonistas de curta duração, como o Berotec® ou Aerolin ®. Essas são medicações que relaxam a musculatura pulmonar, permitindo a abertura das vias aéreas e consequentemente, a passagem de ar, aliviando o cansaço e o chiado.
    • O corticóide oral também pode auxiliar nas crises, diminuindo o processo inflamatório que está causando os sintomas
  • Preventivo:
    • Em casos de crianças com sintomas frequentes, crises graves com internação e comprometimento do dia a dia iniciamos tratamento específico, cujo objetivo é diminuir os sintomas do dia a dia e prevenir crises e internações
    • 1a opção: corticóide inalatório, como Clenil® e Flixotide®
    • Outras opções: antagonistas do receptor de leucotrieno (como montelucaste)
  • Evitar exposição a alérgenos ou irritantes, como:
    • Ácaros
    • Fungos
    • Animais de estimação
    • Cigarro
    • Cheiros fortes

Como fornecer as medicações inalatórias?

Em crianças de zero a três anos o método mais eficiente é a utilização de espaçador e máscara, enquanto nas crianças entre 4 e 5 anos é possível utilizar o espaçador com o bucal, como mostra as fotos abaixo. Esses dispositivos podem ser utilizados tanto para os b2 agonistas quanto para os corticóides inalatórios.
Espaçador e Bucal
Espaçador e Máscara
Os nebulizadores também são dispositivos que podem ser utilizados, porém estudos mostram que são menos eficazes do que o espaçador e máscara no fornecimento da medicação.
Para saber mais sobre os dispositivos, como utilizá-los e higienizá-los, confira o post sobre Tipos de Inaladores)
Fonte: GINA (Global Initiave for Asthma 2016) 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s